quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Desligamento não significa deixar de amar.
Significa que não posso fazer pelo outro, aquilo que ele precisa fazer.

Desligamento não é cortar a comunicação.
É a admissão de que não posso controlar uma outra pessoa.

Desligamento não é a facilitação,
mas deixar que haja aprendizado, através das consequências naturais.

Desligamento é admitir impotência,
o que significa, que a solução não está mais nas minhas mãos.

Desligamento não é tentar mudar ou culpar o outro.
É fazer o melhor para mim mesmo.

Desligamento não é cuidar do outro,
mas se importar com o outro.

Desligamento não é consertar,
mas dar apoio.

Desligamento não é julgar,
mas permitir que o outro seja um ser humano.

Desligamento não é ficar no meio, controlando os resultados,
mas deixar que os outros influam nos seus próprios destinos.

Desligamento não é ser protetor,
é permitir que o outro encare a realidade.

Desligamento não é negar,
mas aceitar.

Desligamento não é azucrinar, rejeitar ou discutir,
porém, descobrir minhas próprias limitações e corrigi-las.

Desligamento não é ajeitar tudo de acordo com os meus desejos,
mas viver cada dia que vier e cuidar de mim mesmo (a) nesse dia.

Desligamento não é me arrepender do passado,
mas crescer e viver para o futuro.

Desligar-me é temer menos é amar mais.


Pois é…para se pensar….

Luz e paz sempre…..magic kisses!

Um comentário:

variações disse...

Tá numa idade linda.

bjuuusss