sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

HAITI... Já era previsto, mas cadê o governo que não fez a remoção do povo antes da tragédia?



A iminência de um desastre na região preocupava especialistas desde 2008. Naquele ano, a 18a Conferência Geológica do Caribe divulgou um documento assegurando que, se toda a tensão na falha fosse liberada, provocaria um terremoto com a magnitude de 7,2 graus na escala Richter. Ainda de acordo com a pesquisa, duas capitais seriam mais suscetíveis aos estragos - Kingston, na Jamaica, e Porto Príncipe. Até 3,6 milhões de pessoas poderiam ser atingidas.

O Haiti tem uma trágica história de catástrofes naturais, mas o terremoto de terça-feira foi o maior dos últimos dois séculos. Como a energia foi toda liberada de apenas um ponto, a República Dominicana, vizinha do Haiti, não registrou danos materiais sérios. O país teria sentido os tremores em menor escala, mas sua capital, Santo Domingo, foi protegida pelos 250 quilômetros que a separam de Porto Príncipe.

- Cerca de 90% dos terremotos que acontecem no planeta são em regiões de contato de placas - explica Jorge Luís Souza, pesquisador de geofísica do Observatório Nacional. - Em uma região geologicamente problemática como Porto Príncipe, um terremoto de grande magnitude é trágico, mas esperado. E o impacto torna-se ainda maior se considerarmos que o país é extremamente pobre e não conta com qualquer infraestrutura para atender às vítimas.

Porto Príncipe registrou mais 32 abalos em 20 horas

Os terremotos são sucedidos por abalos menores, que podem durar até cinco dias. O que provoca estes tremores é a tentativa das placas tectônicas de se estabilizarem. Em menos de 20 horas, Porto Príncipe registrou 32 desses abalos. A maioria tinha magnitude superior a 4,5 graus na escala Richter - dimensão suficiente para provocar trincas nas paredes.

- A força liberada pelo terremoto é equivalente a 18 bilhões de quilos de TNT detonados ao mesmo tempo - compara João Willy Rosa, geofísico da UnB. - A qualidade das construções de Porto Príncipe não é boa, o que aumentou o número de desmoronamentos.

Rosa não descarta a possibilidade de o Haiti ter registrado liquefação - fenômeno provocado por tremores intensos que torna o solo fluido durante o terremoto.

Uma pessoa, assim, pode afundar no asfalto liquefeito, e morrer presa ali quando o material ficar sólido novamente. (extraído: http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=68454 )


OREMOS PARA QUE O SOFRIMENTO POSSA SER MINIMIZADO...

UM POVO QUE JÁ VIVE TANTA PRIVAÇÃO, É MUITO TRISTE MESMO. E OS GOVERNOS NÃO COSTUMAM EMPENHAR ESFORÇOS PARA ÁREAS TÃO POBRES ASSIM. LEMBRO-ME DA CATÁSTROFE EM NOVA ORLEANS. O KATRINA TAMBÉM JÁ ERA PREVISTO, MAS "WHO CARES" NÃO É TIO SAM???

SEM PALAVRAS...

3 comentários:

lita duarte disse...

a cidade desabou,
tem cheiro de morte
por todos os lados.
falta água e comida
pra quem ficou vivo.
o que aconteceu?
(...)
não,a culpa não é de Deus.



que toda ajuda possível e impossível chegue ao Haiti.


beijos.

Desnuda disse...

Tristeza é pouco para exprimir o que todos sentimos. Mas nós, o povo, seres irmãos. Os governantes, as autoridades, só depois de catástrofes, como esta, que querem fazer divulgação da solidariedade...Enfim... Sem palavras... E um monte delas paradas no coração e gritando na mente.

Beijão

Carmela Alves disse...

Chocante!!

Bjus